28 de set de 2016

Extra, Extra!

Extra, Extra!
A sociedade, dita moderna, recentemente tornou obsoleta as paletas de cores da vida.
Cores frias nem pensar, só é aceito a frieza do olhar.
Cores quentes em extinção, quente agora, só a discussão.
Na terra do preto ou branco até o cinza perdeu lugar.
Tucano burguês!
Enquanto pro di menor do arrastão,
Bradam morte ao safado ou total absolvição.
Petralha ladrão!
O equilíbrio de outrora não se faz nem menção.
Mundo utópico esse do meio termo, do melhor de cada lado.
Melhor é escolher preto ou branco e cada um no seu quadrado.
Guto

29 de jun de 2016

Quem perceberá?

Quem perceberá
O mar onde a criança brinca
Protegida por duas bóias frágeis
Abriga em sua profundeza a mais densa treva
Repleta de mistérios insondáveis

Quem perceberá
O campo hoje verdejante
Onde famílias e amigos partilham o lanche
Pode ter sido palco da mais banal guerra
Que regaram com sangue humano a relva

Quem perceberá
No olhar humilde e sereno
A bravura daqueles que sem armadura
Estão em batalha travada na rua da amargura
Onde o inimigo já conquistou alguns palmos do terreno

Quem perceberá
Que o que parece talvez não seja
Que a linha entre ser e estar pode ser tênue
Quem perceberá
Que somos cada um de nós
Um universo inexploravel e inexplicável
Quem perceberá
Talvez ninguém perceba
Pois é impossível avistar o horizonte
Enquanto se olha pro umbigo.

Guto