9 de dez de 2009

Consonância do Amar

Não me tenha por pedante
Estou apenas de passagem
Vim em meio a noite
Clarear a paisagem

Não me tenha por arrogante
Estou exercendo minha função
Iluminar os seus caminhos
Clarear o seu porão

E o porão que me refiro
Não é o tradicional
É o porão da alma
Onde se guarda o lixo sentimental

Esse mal que escondido
Quase sempre imperceptível
Quero ardentemente exterminar
mostrando ao mundo a consonância do amar

Guto

Nenhum comentário:

Postar um comentário