18 de dez de 2009

Somos corpo...?

Somos corpo
E assim bem ajustado
Totalmente ligados, unidos,
Vivendo em amor.
Uma família
Sem qualquer falsidade,
Vivendo a verdade,
Expressando a glória do Senhor.

Hoje ao vir trabalhar estava lembrando dessa música e infelizmente o sentimento que me veio não foi dos melhores. A impressão que tive é que essa música se torna mais hipócrita a cada dia que passa.

Só pra facilitar o entendimento, hipocrisia significa: Manifestação de fingidas virtudes, falsidade.

Sendo assim, essa história de “vivendo em amor” é algo não totalmente verdadeiro e o “sem qualquer falsidade” é melhor nem comentar.

Lógico que estou generalizando, e certamente há exceções, mas acredito que esse louvor só poderá ser cantado sem nenhum nível de hipocrisia quando estivermos no futuro lar.

Digo isso pois frequentemente vemos líderes evangélicos e até mesmo cristãos “comuns” defendendo os próprios interesses, ao invés de defender a maior causa de todas: O Cristianismo.

Como dizia Amaury Fontenelle “Um mia, outro uiva, outro au-au-au. E aí, somos irmãos ou não, afinal?”

Acredito que na igreja há dois níveis de relacionamentos. Aqueles que de fato são amigos e aqueles que simplesmente participam da mesma comunidade cristã.

É difícil acreditar que um lugar com 15 / 20 pessoas haja uma perfeita harmonia. Pois essas mesmas pessoas, pensam diferente, sentem diferente e os atritos ocasionalmente são inevitáveis. E isso é, até certo ponto, natural.

Porém, por mais que as diferenças sejam claras, e os atritos inevtitáveis, algo tem que ser comum a todos: o respeito!

Seja qual for o nível de relacionamento só o respeito um pelo outro, pode proporcionar pelo menos uma parte do que proclama o louvor. Só o respeito e consequentemente a sinceridade pode proporcionar um ambiente “sem qualquer falsidade”.

E assim viveremos “expressando a glória do Senhor”.

Guto

Nenhum comentário:

Postar um comentário